Dicas de empreendedorismo: 5 desvantagens de usar apenas o seu próprio dinheiro na empresa

Abrir uma empresa própria é o sonho de grande parte da população. Não ter de receber ordens de superiores e poder direcionar o crescimento do negócio da maneira que julgar ideal são dois diferenciais que o empreendedorismo oferece. No entanto, ao considerar dar vida a um negócio, é preciso atenção à parte financeira.

Na maioria das vezes, o investidor ou os sócios colocam dinheiro do próprio bolso para fazer a atividade começar e seguem assim por muito tempo. Apesar dessa ser a prática mais comum, nem sempre é a mais adequada.

Saiba os motivos e acompanhe dicas de empreendedorismo a seguir.

1. Cria uma dependência dos sócios

Empreender usando o próprio dinheiro é o mais comum dos negócios. E isso acontece muito por falta de informação. Alguns mitos relacionados à taxa de juros, por exemplo, faz com que, com medo de correrem riscos, as pessoas acabem desconsiderando opções muito mais vantajosas para o negócio, como as alternativas de crédito.

Assim, é preciso refletir sobre alguns problemas que o uso do dinheiro próprio pode trazer para o investidor. O primeiro deles tem a ver com a questão da sociedade.

Quando você reúne dois ou três parceiros para iniciar o projeto, precisa contar com pessoas que tenham tudo a ver com ele, do contrário, poderá ter ao seu lado aliados que não ajudam e que também atrapalham.

Não é fácil criar parcerias de sucesso. Muitas vezes, o empreendedor tem o faro comercial que seus sócios não possuem e isso inviabiliza determinado tipo de ação.

Quando essa falta de sincronia existe, um caminho válido é buscar por recursos externos que garantam a você a liberdade que procura para colocar suas ideias em prática, da maneira que julgar mais conveniente.

2. Pode levar muito tempo

Nem sempre o empreendedor possui os recursos necessários para investir de imediato. É nesse ponto que a busca por financiamento de terceiros deve ser considerada.

É comum ver pessoas levarem muitos anos para reunir o montante para a abertura do próprio negócio. Dependendo da atividade que você quer exercer, será preciso muito mais do que um capital inicial para que seu projeto ganhe vida.

Atividades mais complexas exigem uma quantia elevada de investimento que, muitas vezes, os empregos formais não permitem reunir em menos de dez anos. No caso de loteamentos, os custos variam em função de fatores como padrão, terreno do loteamento e região escolhida. É preciso considerar gastos em:

  • rede de drenagem;

  • de esgoto;

  • de água potável;

  • de alimentação de energia elétrica e iluminação;

  • rede subterrânea de telefone;

  • pavimentação de ruas e calçadas;

  • paisagismo.

Tentar juntar muito dinheiro por conta própria pode levar mais tempo do que você deseja para dar vida ao projeto. Esse é um bom motivo para considerar outras possibilidades mais vantajosas.

3. Compromete a sua qualidade de vida

Ao usar o dinheiro próprio na abertura do negócio, você corre o risco de rebaixar a sua qualidade de vida na fase inicial do empreendimento, momento em que será preciso muita dedicação e energia da sua parte. Sendo assim, é inevitável refletir sobre a importância do bem-estar individual do empreendedor.

Com problemas financeiros de natureza pessoal, a tendência é que você não consiga se concentrar tão bem no trabalho e acabe rendendo menos do que o esperado.

Pode não parecer, mas esse problema é muito comum. Segundo o Sebrae, problemas pessoais correspondem a 7% dos motivos que levam os empresários a encerrarem seus negócios. Posto isso, cuidar da qualidade de vida também é fundamental para o sucesso de uma empresa.

Saiba que é possível investir na vida profissional sem comprometer a pessoal. Basta se concentrar em dividir os gastos individuais dos da empresa. Nesse aspecto, buscar o financiamento de terceiros pode ser uma boa solução.

4. Impede que você conheça outras opções

É possível obter crédito de formas diferentes. Uma das mais conhecidas é com uma instituição financeira.

Entretanto, loteadores não têm acesso a linhas de crédito de bancos públicos ou privados. Nesse caso, é interessante considerar o mercado de capitais. Nele, você pode encontrar apoio para os seus investimentos e parcerias interessantes.

Trata-se de uma solução alternativa às tradicionais fontes de recursos que merece atenção, pois por meio dela você pode ter acesso a soluções sustentáveis de financiamento para o seu projeto.

Se você não possui capital próprio para dar início a um projeto, mas acredita na sua ideia (e tem um bom plano de negócios), o empréstimo pode ser uma solução interessante para a sua empresa.

A questão é ter a devida cautela para avaliar os impactos de sua atividade no mercado, bem como a viabilidade das suas soluções para o público-alvo. Quando você cria um projeto racional, com demanda no mercado, a tendência é que ele dê certo, cresça e você tenha condições para quitar suas obrigações.

Tenha em mente as características do seu negócio ao considerar essas alternativas para alavancar financeiramente a sua ideia.

5. Anula os efeitos da alavancagem financeira sobre o empreendimento

A alavancagem financeira é a capacidade que uma empresa tem de trabalhar com recursos de terceiros para maximizar o seu lucro. Em outras palavras, são investimentos que impulsionam a organização para acelerar o crescimento do projeto e fazer com que ela alcance os resultados em menos tempo.

Quanto maior for o grau de alavancagem financeira de uma empresa, mais condições de ganhos ela terá em um período determinado.

Ao optar pelo financiamento próprio, a tendência é que o empreendedor limite a rentabilidade do projeto, uma vez que os gastos da companhia costumam ser consideravelmente maiores do que as suas possibilidades individuais. Isso impede que a empresa cresça de maneira mais rápida.

Em relação aos riscos, é exatamente nessa possibilidade de atingir resultados em menos tempo que a alavancagem pode ser compreendida como uma alternativa para diminuí-los.

Além disso, você pode investir em mais de um empreendimento ao mesmo tempo e, dessa forma, elevar seu retorno sobre o investimento, podendo assim ganhar em representatividade na região em que atua.

Gostou das nossas dicas de empreendedorismo? Para saber mais sobre o assunto, assine a nossa newsletter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website