De que maneira as alternativas de financiamento podem melhorar a performance de um empreendimento?

A impossibilidade de obter crédito bancário e/ou a dificuldade para manter o pagamento das parcelas fixas exigidas pelas instituições financeiras tradicionais têm sido o principal entrave ao crescimento das loteadoras e urbanizadoras.

Para não ficarem limitadas aos próprios recursos, essas empresas buscam, cada vez mais, alternativas de financiamento. Assim, conseguem capitalizar e alavancar os negócios.

Para entender como funciona o financiamento sustentável e como ele tem papel essencial na melhoria de todas as etapas envolvidas nos loteamentos, acompanhe o raciocínio a seguir.

Qual a melhor opção entre as alternativas de financiamento?

Todo financiamento parte de um contrato firmado entre uma empresa e uma instituição financeira para a obtenção de recursos com destinação específica. Na prática, trata-se de um modo de potencializar o retorno sobre o capital investido e aumentar os lucros, por meio de um plano de negócios bem definido.

Existem diversas opções de financiamento para o setor imobiliário, mas a que melhor atende aos pequenos e médios empresários, que trabalham com loteamentos, é o crédito imobiliário não bancário.

Como funciona o crédito imobiliário não bancário para loteadoras?

Essa modalidade financia até 80% do custo total referente à infraestrutura necessária para a produção de loteamentos residenciais, sem PMTs fixas. O pagamento é feito conforme a realização das vendas, por isso tem parcelas variáveis, sem os custos de uma securitização (estruturação de CRIs ou CCIs) e sem as garantias de recebíveis de projetos anteriores.

Após a entrega da obra, é possível fazer a cessão da carteira de recebíveis. Funciona da mesma maneira, ou seja, sem os custos nem a burocracia de uma securitização. Com valores flexíveis, os pagamentos variam conforme o dinheiro entra, acompanhando o fluxo da carteira.

Ainda é possível otimizar o giro de estoque, por meio do adiantamento de até 50% do valor de venda das unidades residenciais prontas, remanescentes e disponíveis em estoque, novamente sem PMTs fixas. O pagamento também é feito conforme a realização das vendas, com as parcelas variáveis.

Como o financiamento sustentável melhora um empreendimento?

1. Acelera o retorno financeiro

A maneira de investir faz toda a diferença entre obter o retorno financeiro rapidamente ou aos poucos. Isso por que a legislação do setor, que rege o Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e o uso dos recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), impede o financiamento bancário para a aquisição de lotes e promoção da sua infraestrutura.

Por conta disso, a maioria dos loteadores parte para o autofinanciamento e aloca o próprio capital para viabilizar seus projetos e financiar os clientes. Mas, como os parcelamentos são longos, com prazos que chegam a 15 anos, o retorno sobre o investimento demora — já os gastos não esperam.

2. Permite diversificar os projetos

Ao obter crédito sustentável, o risco de descasamento de caixa diminui consideravelmente. Afinal, com parcelas variáveis, os custos são adiados para momentos financeiramente oportunos. Mais capitalizado, graças ao aumento do retorno sobre o capital investido, o empresário pode apostar em diversos projetos ao mesmo tempo.

3. Facilita a gestão e a profissionalização

O sistema de gestão integrado, oferecido pelas gestoras de crédito, facilita a organização financeira das empresas, garantindo o controle de contratos, emissão de boletos, entre outras atividades.

Segundo a Associação das Empresas de Loteamento e Desenvolvimento Urbano (AELO), a profissionalização é essencial para empresas que desejam se consolidar como players regionais.

4. Poupa tempo para achar boas oportunidades

Em vez de gastar seu tempo lidando com aspectos legais, administrativos e, principalmente, financeiros, ao tomar crédito e se capitalizar, o loteador consegue se dedicar à prospecção de novos negócios.

Para encontrar boas oportunidades, é preciso ir a campo e conhecer as regiões de interesse a fundo. Conversar com os moradores de áreas próximas, pesquisar sobre a oferta de comércios e serviços, avaliar as opções de transporte, segurança e lazer existentes e/ou previstas no Plano Diretor do Município, entre outros aspectos, fazem parte do dia a dia.

No caso de empresas pequenas, que não contam com um time de especialistas em pesquisa de mercado, cabe exclusivamente ao empreendedor checar se a localização oferece atratividade.

5. Permite fazer relançamentos mais atrativos

Para fazer frente a concorrentes (de um lado, as grandes incorporadoras, que passaram a olhar para a classe média; de outro, as demais loteadoras e urbanizadoras) e atender às necessidades da clientela, os loteadores podem fazer mais relançamentos, com prazos mais extensos e parcelas ainda mais acessíveis.

6. Aumenta o grau de confiabilidade

Sem comprometer suas reservas, graças ao financiamento, o loteador obtém capital para concluir as obras sem atrasos e garante as entregas no prazo. A boa capacidade de entrega conquista a confiança dos clientes. Dessa forma, a empresa ganha em market share e, ainda, consegue antecipar as carteiras dos empreendimentos entregues.

7. Promove o desenvolvimento urbano

Os loteamentos são vistos como projetos de desenvolvimento urbano em áreas antes rurais. Com o financiamento, conseguem desenvolver uma melhor infraestrutura para o entorno, criando bairros ordenados, em dia com as exigências dos órgãos de fiscalização e, consequentemente, mais sustentáveis. Com isso, atraem outros empreendimentos, valorizando ainda mais a região.

8. Melhora a qualidade de vida dos clientes

Para atrair a clientela, os loteamentos investem em melhorias na infraestrutura urbana. Aos poucos, o bairro passa a atrair uma rede completa de serviços, como creches, escolas, faculdades, postos de saúde, academias de ginástica, mercados, entre outros. Ao conseguirem resolver as tarefas diárias perto de casa, as pessoas evitam o estresse do trânsito e têm mais tempo para se dedicar ao que realmente desejam.

9. Viabiliza a construção de lares

Ao oferecerem financiamento para seus clientes, os loteadores dão o primeiro empurrão para que eles construam suas casas da maneira com que sempre sonharam. Aos poucos, cada vez mais pessoas conseguem realizar projetos personalizados, que atendam aos seus desejos e necessidades — gastando bem menos do que seria necessário para adquirir um apartamento de metragem similar.

Como visto, existem alternativas de financiamento desenvolvidas sob medida para as necessidades de loteadoras e urbanizadoras, melhorando o desempenho de empreendimentos atuais e futuros.

O importante é que sejam linhas de crédito sustentáveis, que permitam o melhor retorno financeiro. Quer ter acesso a mais dicas sobre os alcances do crédito imobiliário não bancário? Siga-nos no LinkedIn!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website