Como ganhar dinheiro em loteamentos de alta, média e baixa renda?

Diante dos olhos dos investidores, as oportunidades podem surgir em loteamentos de alta, média e baixa renda. Com visões afiadas sobre o mercado imobiliário e a oferta de locais de grandes potencialidades de investimentos, existem inúmeras vantagens atrativas em terrenos com especificidades bem diferenciadas.

Como as cidades estão em constante crescimento, acompanhado pelo aumento populacional, muitas vezes há pontos que podem ser supervalorizados em questão de poucos anos. Para isso, a visão de mercado precisa estar sempre bem apurada.

Sabendo-se que o Brasil conta com pessoas que integram as diferentes classes econômicas, é possível investir em loteamentos adequados para cada público-alvo, destinando empreendimentos com características particulares de acordo com a renda das famílias.

Por isso, o tamanho dos terrenos, o bairro escolhido, formas de pagamento e potencialidades do local fazem uma grande diferença na hora de escolher onde vai investir o dinheiro.

Para que tudo saia como o planejado e sua obtenção de crédito fique dentro das expectativas, elaboramos este post para explicar vários aspectos sobre os loteamentos, dicas, boas práticas de gerenciamento e otimização da renda, com o objetivo de contribuir com a sua lucratividade e satisfação tanto do empreendedor quanto dos clientes.

Loteamentos de alta renda

Primeiramente, vale a pena deixar bem claro que os loteamentos de alta renda ocupam espaços amplos, muitas vezes em locais mais afastados das cidades, como os condomínios fechados de luxo que se formam ao redor dos municípios.

No momento de escolher um terreno que atenda a essa exigência, você terá de contar com um aporte financeiro estruturado, com a busca de créditos amplos e autofinanciados para a aquisição dos lotes, já que os bancos não aderem a esse tipo de financiamento.

Os loteamentos de alta renda têm crescido exponencialmente nos últimos anos no Brasil, atraindo interessados tanto como forma de investimento de pessoas físicas e jurídicas quanto de famílias interessadas em moradia segura e confortável.

Com isso em mente, trata-se de um nicho de mercado que merece a sua atenção, já que as vendas podem trazer uma margem significativa de lucratividade, sem falar na valorização do local onde o empreendimento será lançado.

Outro ponto determinante é que esse público conta com bens e renda suficientes para dar conta das parcelas ou até mesmo de um pagamento à vista, reduzindo consideravelmente os índices de inadimplência.

Focados em uma maior segurança e tranquilidade, os compradores desse tipo de imóvel geralmente optam por pontos mais elevados, mesmo que o valor do metro quadrado fique bem acima da média local ou regional.

Uma tendência é que várias incorporadoras já estão oferecendo as casas prontas, sendo um atrativo a mais e também uma forma de poupar os compradores de todas as dores de cabeça que uma obra causa. Para isso, busque sempre materiais de primeira qualidade e que conquiste esse público refinado.

No momento de escolher um local ideal para empreender, fique sempre atento a esta dica: loteamentos de alta renda exigem muito mais do que terrenos amplos, requerem também que tenham uma boa infraestrutura, paisagens interessantes e posições estratégicas quanto aos centros urbanos para facilitar a locomoção de uma maneira geral.

Fora isso, devem ser fechados, com sistemas de segurança patrimonial, de monitoramento por câmeras e recursos para identificação de moradores, visitantes e fornecedores nas portarias, sempre prezando pelo bem-estar dos moradores.

Afinal, esse público tem informação e vai atrás de empreendimentos que atendam as suas expectativas, baseadas em altos padrões de qualidade.

Loteamentos de média renda

Integrando a maior parte da população economicamente ativa do Brasil, a classe média conta hoje com um grande potencial de consumo por conta do aumento da renda e mais acesso às linhas de financiamento.

Mas, em razão da atual crise econômica, muita gente que fazia parte desse bloco financeiro, acabou perdendo poder de compra, influenciando no lançamento de muitos loteamentos de média renda.

A dica, levando em conta o atual cenário, é buscar a otimização dos espaços, com divisões dos terrenos em meio lotes ou de até 300 metros quadrados, tendo como principal objetivo o barateamento do preço final.

Nesse caso, a escolha dos terrenos geralmente conta com mais opções, já que os bairros escolhidos podem ser residenciais. Inclusive, até mesmo os loteamentos voltados às famílias de média renda contam com condomínios fechados.

Geralmente, em comparação com os de alta renda, a diferenciação está ligada com o tamanho das glebas e ainda com as especificações da obra, tendo em vista que as casas não terão um padrão tão alto, ampliando as possibilidades estruturais.

Como a faixa de renda dessa classe é bem menor em relação a alta, vale a pena os empreendedores sempre ficarem atentos com terrenos mais próximos dos centros urbanos e também que tenham serviços ao redor, como padaria, posto de combustível, shopping, escolas, enfim, quanto mais atrativos desse tipo houver, melhores serão as chances de venda.

O ideal é também se atentar para possíveis danificações que possam trazer prejuízos após a compra de um lote desse tipo. Podemos citar a ocupação de áreas de preservação permanente, onde existam esgotos lançados no curso d’água, problemas de erosão, entre outros.

A dica é fazer o melhor uso da terra visando o fluxo de caixa, situação que vai contribuir na quitação do financiamento, abrindo espaço para novos investimentos.

Afinal, saber conciliar bem a junção entre tempo e dinheiro é um fator que faz grande diferença na obtenção dos lucros em um empreendimento imobiliário. Por isso, o planejamento é crucial na otimização do uso do espaço adquirido.

Loteamentos de baixa renda

Os loteamentos de baixa renda frequentemente abrangem construções verticais como forma de melhor aproveitamento do espaço, pois os imóveis terão um valor bem mais em conta, refletindo ainda no tamanho interno dos apartamentos.

Existe a possibilidade de você optar por condomínios residenciais abertos, utilizando meio lote para cada casa. A escolha dos terrenos ideais deve passar por várias avaliações, já que muitos locais que teriam boas possibilidades podem esbarrar em complicações legais, como falta de regularizações ou até mesmo por conta da legislação ambiental.

Ao encontrar uma área ampla e que atenda ao seu objetivo, a dica é fazer uma boa negociação calculando se o valor investido será recuperado por meio das vendas.

No caso dos loteamentos de baixa renda, um ponto que não pode fugir na hora de escolher o local ideal do terreno é a infraestrutura de serviços ao redor do espaço, pois o deslocamento das pessoas dessa faixa de renda pode ser um limitador para moradia.

Dessa maneira, observar as potencialidades comerciais, de transporte público, o acesso à região, certamente determinarão a valorização dos imóveis, ou seja, ajudará nas vendas.

Sabendo-se que existem muitas linhas de crédito voltadas a essa faixa de renda, saiba que quanto mais o espaço for aproveitado, melhores serão os lucros.

Diante da realidade econômica do povo brasileiro, esse tipo de investimento tem a maior possibilidade de vendas, já que muitas pessoas de baixa renda têm o sonho de obter a casa própria.

Por isso, a construção de casas ou a oferta de terrenos voltados à baixa renda certamente terão uma boa resposta do mercado. Geralmente, caso você opte pela construção de casas, elas podem ser feitas sob os mesmos padrões, com o objetivo de explorar todos os espaços do terreno.

De olho nos loteamentos em áreas urbanizadas, busque sempre vantagens que sejam atrativas, como subsídios públicos ou até mesmo parcerias com a prefeitura no destino da infraestrutura, como iluminação, asfalto e rede de esgoto.

Quanto mais houver o barateamento das construções, melhores as possibilidades de vendas e ainda no preço final de cada casa. Como essa faixa de renda ocupa os maiores índices de ausência de moradia própria, as parcerias público-privada (PPP) são um convite na obtenção do crédito imobiliário.

No entanto, independentemente da escolha do terreno, seja para loteamentos de alta, média e baixa renda, você não poderá fugir de um planejamento alicerçado em boas práticas de gerenciamento, como veremos a seguir.

Boas práticas de gerenciamento

Antes da compra ou escolha do terreno, é preciso sempre se atentar para as exigências legais que demandam gastos extras. Por isso, o devido gerenciamento é muito importante para você não se perder nas contas que um investimento desse porte exigem.

Lembre-se sempre de incluir o valor do terreno em sua declaração do Imposto de Renda, caso a escritura tenha sido concluída no ano anterior da compra.

Se for comercializado algum lote, também existe a necessidade de informar à Receita Federal sobre a transação, com nomes de quem vendeu e comprou. Outra dica imprescindível é documentar todas as negociações para que não ocorram problemas administrativos.

Busque informações do terreno onde será construído o loteamento nos cartórios, verifique todos os trâmites legais e desconfie sempre de valores mais baixos do que a média cobrada pelo mercado.

Além disso, vale a pena explorar os recursos tecnológicos para não se perder no gerenciamento dos loteamentos de alta, média e baixa renda.

Um sistema de gestão integrada, por exemplo, contribui com a gestão ao oferecer o devido controle dos contratos, das parcelas, emissão de boleto bancário e financeiro, além de ajudar na otimização do tempo e melhor organização do setor financeiro.

Ou seja, assim como a escolha ideal do terreno, o gerenciamento ocupa tempo e dinheiro, já que existem taxas a serem quitadas anualmente, como o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), mesmo que o imóvel ainda não tenha sido construído.

Ele é cobrado de acordo com o valor venal e varia de acordo com o local escolhido. Quanto mais valorizado o local, certamente o valor anual terá um peso maior.

Outro ponto que merece a sua atenção é sobre a manutenção do terreno, como a limpeza periódica e reaproveitamento dos materiais. Várias prefeituras têm legislações próprias que multam os proprietários que não mantêm os locais devidamente cuidados.

Portanto, para evitar multas e perdas financeiras, faça o cercamento da área com arame ou muros, o que contribui ainda para evitar possíveis invasões.

Inclusive, esse problema é uma das principais preocupações dos empreendedores, exigindo cuidados extras. Faça visitas constantes ao terreno e, se for possível, mantenha um vigia no local para assegurar que os invasores não escolham a sua área para uma ocupação.

Colocando na ponta do lápis, efetuar as boas práticas de gerenciamento traz bom custo-benefício.

Otimize a sua renda

Assim como todos os investimentos, a compra e a venda de terrenos ou loteamentos prontos podem trazer altos e baixos às suas finanças.

É preciso sempre ficar bem atento em relação às tendências do mercado para evitar prejuízos.

Sendo um ativo real, o imóvel pode ser valorizado ou não ao longo de um ano, mas sempre está livre da insegurança institucional vivenciada no Brasil.

Inclusive, é preciso ainda ficar de olho nos mitos que existem no setor imobiliário, como a questão de que a poupança pode ter um rendimento mais favorável em comparação ao aluguel ou venda de casas.

De acordo com especialistas, levando-se em conta a taxa inflacionária anual e os rendimentos da poupança, os imóveis podem demonstrar vantagens bem mais acessíveis.

Fora isso, a questão da chamada bolha imobiliária é outro ponto que necessita de uma atenção maior. É preciso levar em conta a série histórica antes de abrir brecha ao excesso de confiança ou alavancagem exagerada. Esses, sim, verdadeiros inimigos do setor.

Aliás, a compra de um imóvel é uma boa maneira de investimento, já que o cidadão deixará de gastar com superficialidades tendo as parcelas batendo todos os meses em sua porta.

Outra dica fundamental na otimização da renda é sempre ficar sintonizado com as análises de mercado. Afinal, as constantes oscilações podem influenciar na obtenção de crédito tanto para o investidor quanto no caso do comprador.

Portanto, quanto mais informações certeiras você tiver, melhores serão as chances de sucesso em seu empreendimento imobiliário.

Agora, como tudo na vida, existem riscos nos investimentos, como uma possível desaprovação do projeto pela prefeitura, atrasos na obra e até mesmo dos recebimentos dos financiamentos fechados.

Por isso, conte com profissionais especializados no assunto no momento de traçar um projeto, incluindo todos os pontos favoráveis e desfavoráveis para que imprevistos não signifiquem perdas financeiras.

Além dos cuidados dos investidores, todo cidadão também deve ficar atento no momento de assinar um contrato, tendo em vista a grande responsabilidade que um alto investimento significa na vida de todos.

Com isso em mente, vamos mostrar agora algumas dicas que não podem fugir do seu checklist na hora de fechar um negócio. Vamos a elas!

Conheça bem o empreendimento

Sabendo-se que cada pessoa ou família se relaciona melhor com um loteamento de acordo com suas possibilidades de renda e crédito, vá sempre atrás de todas as informações referentes ao empreendimento escolhido.

Conheça os detalhes sobre a metragem dos terrenos, o que haverá de infraestrutura, opções de lazer, valores das taxas de condomínio, tamanho das casas no caso das obras entregues com residências, materiais utilizados, enfim, não deixe nada de lado. É preciso ir a fundo, conseguindo as informações corretas para não se arrepender depois.

A dica vale também quando os corretores escolhem determinado local. Percentual de edificações que poderão ser construídas no terreno, tamanho, entre outros pontos, são importantes ao comprador.

Vá a campo

Ir a campo é uma forma dos compradores conquistarem clientes direcionados ao empreendimento. Com o avanço da internet, acabou o tempo em que estandes e anúncios em jornais significavam resolução das vendas.

Atualmente, é preciso prospectar clientes na rede, buscando perfis de pessoas que podem ser potenciais compradores. Uma análise na carta de clientes, por meio de um banco de dados, é um bom começo.

Dicas aos compradores

Após o lançamento de um loteamento ou ainda na fase de obras, independentemente se for destinado à alta, média ou baixa renda, vale a pena verificar sempre o histórico da empresa responsável pela obra, documentações, referências e empreendimentos apresentados anteriormente.

Veja se o loteamento atende a todas as suas preferências, tanto de localização quanto de metragem dos terrenos, incluindo a infraestrutura disponível, segurança, demarcação, enfim, faça visitas para sentir o local e suas potencialidades, de olho em uma valorização futura.

A consulta ao cadastro dos corretores da sua região por meio dos portais do Conselho de Corretores de Imóveis (Creci) ajuda a evitar problemas quanto a possível falta de credibilidade da corretora que ficará a cargo das vendas, ou seja, trata-se de uma segurança a mais para o seu investimento.

Exija, ainda, o contrato e todas as suas especificações, assim como a documentação referente ao lote. Dessa forma, você conseguirá evitar más notícias, como a paralisação de uma obra por conta de um embargo ambiental.

Descubra as vantagens de investir em um loteamento

Com a compra de um loteamento de alta, média ou baixa renda, o retorno sobre o investimento (ROI) pode ser conquistado de diferentes maneiras, tanto para os compradores quanto para os investidores.

Sabendo-se que existe uma dinâmica do mercado imobiliário, constantes valorizações podem fazer o seu dinheiro render consideravelmente. Portanto, busque referências, colha informações certeiras sobre o empreendimento e, se possível, faça uma pesquisa de mercado antes da aplicação.

Para tanto, é preciso sempre contar com a paciência, já que esse setor exige muitos cuidados no fechamento dos negócios, sem falar na devida escolha dos terrenos para os empreendimentos de grande porte.

Por isso, a obtenção de crédito em locais confiáveis é uma excelente alternativa para você não ter problemas no decorrer, seja na aquisição do terreno assim como na construção dos loteamentos. Lembre-se sempre: planejamento orçamentário é fundamental!

Conclusão

Independentemente se a sua escolha de investimento será um loteamento de alta, média e baixa renda, uma questão não pode fugir desse debate: trata-se de um bom nicho de mercado, que cresce a cada ano no Brasil.

Como o governo federal vem cortando os gastos dos investimentos em razão da dívida pública e também da crise financeira, o setor é visto hoje por empreendedores particulares como a bola da vez.

Por isso, faça uma escolha adequada da melhor linha de crédito para a sua aplicação, assim como dos terrenos, e não deixe de vender os lotes. De olho no sonho de todo brasileiro, a conquista da casa própria é uma escolha que permeia a vida das famílias.

Ou seja, trata-se de um bem que será sempre procurado em determinado momento da vida das pessoas, sejam elas das classes A, B, C ou D.

Portanto, o retorno do investimento tem uma garantia a mais, principalmente em razão das diferentes possibilidades de uso dos espaços, como aluguel, construção de casas ou até mesmo do loteamento para empresas terceirizadas.

Sempre atento aos detalhes do mercado financeiro, como das possibilidades de valorização do local escolhido para o surgimento do loteamento, certamente o seu investimento não será em vão.

Mesmo porque a compra de um lote é uma forma de economizar, pois o valor é bem mais em conta se for comparado a um imóvel pronto ou um terreno. A venda também é mais rápida, trazendo liquidez ao seu investimento. Sabe o motivo?

Pelo fato do crescimento da busca por locais mais seguros pelas famílias brasileiras, principalmente para evitar as consequências da escalada da violência nos centros urbanos.

Com os loteamentos fechados e horizontais, por exemplo, a incidência de roubos e furtos tem uma redução significativa, além dos locais destinarem mais conforto e tranquilidade às famílias que pretendem investir nesse nicho do mercado.

Seguindo as dicas demonstradas neste post e tomando todas as precauções administrativas na gestão do negócio, a construção dos loteamentos é uma realidade para quem almeja ganhar dinheiro, mesmo que a crise ainda esteja sendo uma realidade para muita gente.

Afinal, sabendo-se que o tempo de obra muitas vezes ocupa mais de um ano, é bem provável que a situação econômica do país esteja melhor quando o seu lançamento imobiliário estiver sendo comercializado.

Por isso, faça agora mesmo todos os estudos para esse tipo de investimento e veja como as opções de financiamento podem ser um diferencial para o seu loteamento se destacar em comparação aos lançados pela concorrência.

E você, ficou interessado nas informações deste post? Que tal sempre acompanhar artigos aprofundados? Assine a nossa newsletter e não deixe passar em vão as tendências do mercado imobiliário e financeiro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website