Como conseguir crédito mesmo sendo uma empresa informal?

Se mesmo pequenos negócios que já estão formalizados podem encontrar obstáculos na obtenção de crédito, a situação é ainda mais dramática para empresas que ainda operam na informalidade e podem precisar dos recursos para inclusive regularizar a sua situação.

Esse é o caso de, por exemplo, pequenas empresas que ainda não alcançaram um grau de maturidade para se formalizarem, ou de negócios de família que, como não lidam com colaboradores externos e não precisam emitir nota dos seus compradores, vivem na informalidade.

Mas mesmo esses formatos de negócio podem precisar do crédito para investir nas suas estruturas e, quem sabe assim, conseguir aproveitar melhor as oportunidades do mercado, crescer e se formalizar. Neste artigo, explicaremos como essa difícil tarefa pode ser feita.

É possível obter crédito na informalidade?

Vamos começar com a informação mais importante: na prática, é impossível para uma empresa informal conseguir qualquer tipo de crédito por conta própria. Isso porque, se o negócio ainda não tem CNPJ, o cadastro nacional de pessoa jurídica, é porque ele efetivamente não tem uma identidade para assumir esse empréstimo.

Logo, o caminho para a conquista desse crédito será árduo: é preciso que o empreendedor faça todo o processo em seu nome, já que, oficialmente, a empresa ainda não existe e não pode assumir essa responsabilidade.

O principal contratempo aqui é que as taxas de juros para pessoa física serão significativamente maiores. Normalmente, os bancos e outras instituições avaliam o crédito para empresas como um investimento que o negócio será capaz de retornar se souber utilizá-lo com inteligência.

Mas no caso de um crédito pessoal, os riscos são maiores: muitas pessoas pegam dinheiro emprestado para abater gastos e, às vezes, até outras dívidas, ou então para cobrir alguma emergência financeira que tenha surgido.

Com isso, o custo da operação fica bem maior, algumas vezes, até proibitivo. E como não existe um plano de negócios para facilitar a avaliação desse risco, a tendência é de que os analistas das instituições financeiras reprovem o crédito.

É preciso avaliar com cuidado se esse crédito mais caro será realmente proveitoso para o desenvolvimento do negócio. E se não for possível encontrar oportunidades para conseguir esses recursos em nível pessoal, talvez o caminho seja recorrer para formas também informais de obtenção de crédito.

Obtenção de crédito na informalidade

Muitos dos negócios de maior sucesso do mundo deram seus primeiros passos com o dinheiro de amigos e familiares. Se uma pequena empresa informal não consegue uma operação de crédito, uma possibilidade pode ser recorrer às pessoas mais próximas que tenham condições de emprestar o dinheiro em condições de juros menores.

O grande risco aqui é que além do dinheiro, uma relação entre os envolvidos também estará em jogo. Se o empreendedor não conseguir honrar seus compromissos, ele pode perder também um amigo no processo. E, mesmo que exista uma confiança entre as duas partes, pontos pouco esclarecidos na hora de fechar o contrato também podem desgastar a amizade.

E vale um alerta aqui: mesmo se estiverem negativadas, pessoas podem conseguir empréstimos com os chamados agiotas, que são criminosos que oferecem dinheiro “fácil”, mas operam totalmente fora da lei e podem ser o começo de muitos problemas.

Mesmo que pareça importante, jamais cruze o limite da lei e pegue dinheiro com um agiota. Sem as devidas proteções jurídicas, esse tipo de acordo pode ser perigoso em vários sentidos para o empreendedor.

Quais outras opções existem para a obtenção de crédito?

Além das opções citadas acima que focam no crédito pessoal para o empreendedor e não para o negócio informal, existe uma outra possibilidade de obtenção de linha de crédito que é bem óbvia: a formalização do negócio.

Com a formalização, será possível abrir contas bancárias em nome da empresa e buscar linhas de crédito mais interessantes. Muitas vezes, a carga tributária com a formalização será menor do que o custo de um empréstimo pessoal.

Logo, mesmo que seja apenas com o objetivo de conseguir crédito, pode ser uma estratégia válida formalizar o negócio.

Isso pode ser feito até com o mínimo de burocracia possível por meio do MEI, o Microempreendedor Individual, uma maneira simples de obtenção de CNPJ para empresas com faturamento anual menor que R$ 60 mil e no máximo um único funcionário.

Como obter crédito como uma empresa nascente?

Mesmo com a formalização, uma empresa nascente ainda encontra desafios na hora de conseguir crédito. Os bancos usualmente avaliarão o plano de negócios e os sócios antes de disponibilizarem qualquer valor.

Se não existir nenhuma negativação no nome dos sócios e se o plano de negócios for convincente, ainda existe uma última barreira a ser superada: as garantias.

Para fornecer crédito, a instituição financeira vai exigir garantias, sejam elas reais ou de avalistas. A falta de garantias é um dos maiores motivos de recusa de crédito no Brasil.

Mas existem alternativas para esses negócios em fase inicial, o chamado sistema complementar de garantias, compostos pelos fundos de aval e pelas Sociedades de Garantia de Crédito. Ambos são mecanismos que garantem às instituições financeiras o pagamento da dívida ou parte dela em caso de inadimplência.

Os fundos de aval geralmente são coordenados por órgãos governamentais ou entidades de fomento privadas de interesse público, como o Sebrae. Para conseguir acessar a garantia de um fundo de aval, é necessário que o banco tenha convênio com o fundo e que o empreendedor pague, junto das parcelas da dívida, uma pequena taxa para o fundo.

Já as Sociedades de Garantias de Crédito (SGC) são organizações privadas que podem oferecer a complementação das garantias para empresas que buscam empréstimos. Geralmente, são associações de micro e pequenos empresários com o apoio do poder público e/ou entidades representativas de classe.

Como no caso dos fundos de aval, as SCG também cobram uma taxa de garantia que é embutida nas parcelas pagas pelos tomadores do empréstimo.

Mesmo se a instituição financeira liberar o crédito sem que a empresa ofereça garantias, pode valer a pena descobrir qual seriam os juros da operação com a garantia. Em alguns casos, mesmo com a taxa de uma SCG, eles podem ser menores.

E agora que você já sabe melhor como funciona a obtenção de crédito para empresas informais, aproveite para assinar nossa newsletter e ficar por dentro dos melhores conteúdos de empréstimos, créditos e financiamentos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website